Conta a sua história, Espaço dos Colaboradores, Papos Diversos, Parada Literária

Resenha de pai??? Homens corajosos falam sobre a paternidade

Aproveitando o gancho do tema participação dos pais, vamos ouvir deles próprios como se sentem a respeito da responsabilidade que pesa sobre seus ombros. Para isso, recorrerei à minha amiga íntima (através das páginas dos livros) Erin Macpherson. O relato seguinte foi retirado do livro Guia Definitivo da Mãe Cristã – volume 3, de autoria de Erin, como vocês ja sabem. Sem mais delongas, pois hoje a voz é deles, vamos ouvi-los:

Troy

Consegui,  pais! Descobri o segredo de uma casa calma, uma esposa feliz e crianças bem comportadas. E enquanto não descubro uma forma de patentear minha descoberta e ganhar bilhões de dólares com ela, decidi veiculá-la de forma gratuita. Pois quem precisa de bilhões de dólares?  Essa idéia é muito boa para não ser compartilhada.

Portanto, eis a descoberta: ponha as crianças lá fora.

É simples assim. A próxima vez que seus filhos estiverem correndo pela casa como se vocês tivessem dado café puro, um energético, para elas no café da manhã – o que, por sinal, não é uma boa idéia -, apenas ponha as crianças lá fora. Isso mesmo, abra a porta, pegue as crianças e ponha-as lá fora. Se forem muito pequenas a ponto de não poder confiar que elas não vão comer besouros, você pode sair com elas, mas, de qualquer forma, saia de casa.

A próxima vez que seu filho se jogar no chão e tiver um piti barulhento e começar a chutar a parede porque queria o copo azul e não o verde, ponha-o fora de casa.

E a próxima vez que seu filho tiver um chilique por causa de um caminhão azul – o caminho azul que é idêntico ao verde, exceto pela cor -, ponha-o lá fora.

E a próxima vez que sua esposa tiver um ataque de nervos daqueles porque não consegue mais lidar um minuto sequer com a situação ao mesmo tempo que faz o almoço, esvazia a lava-louças e toma conta de três crianças resmungonas, ponha-a lá fora. Espere aí, errei. Ponha as crianças lá fora.

De qualquer forma, por mais engraçado que isso só é, levar seus filhos para fora de casa é uma ótima maneira de mudar as atitudes – as suas e as deles. Dez minutos brincando no quintal, e meus filhos parecem ficar mais calmos e conseguem se controlar melhor com frequência. E eu também fico mais calmo. O barulho não ecoa nas paredes, e o ar fresco parece fazer maravilhas quando as coisas estão tensas. E, embora pareça ser uma ferramenta simplista para controlar o comportamento, ela funciona. (1)

Um detalhe: mais uma vez temos um texto sob a ótica da realidade nirte-americana. A maioria de nós não mora em belas casas com largos quintais. Porém, o ponto aqui é: mantenha as crianças em atividade. Saia com elas, para onde for possível, mas não as deixe confinadas numa casa ou apartamento e espere o melhor dos mundos. Experiência própria! 😞

images

Motivada pelo exemplo de Erin, também consultei alguns pais entre os amigos e pedi que eles se manifestassem sobre as dores e delícias da paternidade. Vamos ver como se saíram?

Marcos Garrido

“Quando ela nasceu eu fiquei muito feliz! Claro que tinha um pouco de apreensão, de receio, de como ela viria, mas esse ‘time’ foi de muita felicidade e a gente está aprendendo a ser pai e mãe. Mas ela, desde quando nasceu, sabia o que é ser filha e até hoje é assim, ocupando seu espaço e sabendo que é muito amada.

Quanto à relação do casal,  a tendência é sempre dividir as atenções e se afastar um pouco um do outro mas, com o tempo, tudo vai se consertando, porque a criança vai crescendo e se desenvolvendo e o relacionamento também vai amadurecendo. Isso é o normal, ou, o que deveria acontecer. Com a gente aconteceu isso. Hoje a gente se dá muito melhor e se entende mais do que antes. O legal é que a gente, todos – eu, Júlia e Josy – , a gente se sente amado um pelo outro.

O que esperar da paternidade?Certamente um filho🤣🤣🤣🤣Mas, assim – responsabilidade, cumplicidade. Você não está tendo um bichinho de estimação, você está tendo um filho ou filha que você vai ajudar a crescer e pedir a Deus para te dar sabedoria no criar, para que um dia ela seja, além de sua filha, sua amiga.

images (3)

Fernando G. Andrade 

Sempre tive vontade de ser pai. Desde muito cedo, ainda na minha adolescência me imaginava sendo pai com no máximo 17 ou 18 anos. Mas Deus com sua sabedoria divinamente infinita não permitiu que isso acontecesse. Fui pai aos 42 anos e estou tentando fazer o melhor possível para o meu pequeno Daniel. Não imaginava quão grande e difícil seria a missão de criar e educar um filho. A experiência é maravilhosa e desafiadora. Cada dia uma novidade. Não existe manual, a experiência vivida por uma família pode ser completamente diferente do que nós estamos vivendo, assim como a nossa experiência pode ser completamente diferente da de qualquer outra pessoa. O que tenho aprendido é a trabalhar o exercício da paciência, e a aproveitar cada segundo, por mais difícil que possa ser, ao lado do meu filho e da minha família. Nada pode ser mais prazeroso e gratificante do que o tempo dedicado a ele (s).

images (2)

Marcos Garrido é Urbanista, tem 50 anos de idade, casado com Josy há 14 anos e pai de Júlia de 05 anos.

Fernando G. Andrade é profissional da área de Logística, tem 45 anos, é meu marido há 6 ❤ e pai de nosso Daniel, de 2 anos e 10 meses.

________________________

1 – MACPHERSON, Erin. Guia Definitivo da Mãe Cristã 3: Tudo o que você precisa saber sobre a idade das descobertas / Erin MacPherson; tradução Markus Hediger. – 1. ed. – Rio de Janeiro: Thomas Nelson Brasil, 2014, pg 173 e 174.

Anúncios

2 comentários em “Resenha de pai??? Homens corajosos falam sobre a paternidade”

  1. Acho que romantizaram o ser pai, assim como romantizamos o ser mãe.São todas essas coisas lindas que citaram, mas acho que também deve ser: ” Aonde é que devolvo? rsrsrsrs
    Vai perguntar ao meu esposo a visão dele sobre a paternidade sem romantizar e teria que tirar meu pequeno da presença dele, mas ele o ama, nós o amamos, é muito bom tê-lo conosco mas é punk. rsrsrsrsrsr

    Curtido por 1 pessoa

    1. Boa idéia, Adriana! Seria ótimo ouvir a opinião dele. Com certeza há opiniões das mais variadas. E, com certeza, vou publicar aqui o comentário dele. Tudo de sincero enriquece nosso bate papo aqui. E vamos crescendo juntos. 🙂

      Curtir

Deixe um comentário! Sua opinião é importante para manter o blog interessante!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s