Mãe Esposa, Sem categoria

Fazendo os ajustes necessários no casamento

Então você estava solteira e por causa disso tinha muitos problemas. A maioria de suas amigas estava casada ou namorando sério e você não tinha companhia para sair, o tempo passando e você começava a ficar preocupada se ainda conseguiria se casar. Mais que isso, você já estava se perguntando se ainda daria tempo de ter filhos! E se tentasse assistir um filme para relaxar e desviar os pensamentos o negócio só piorava, porque logo começava a beijação na tela e você, ali, sozinha no sofá! Ainda tinha que lidar com os hormônios gritando e acabava indo se afogar no chuveiro frio depois do filme.

Mas você casou! Apareceu aquele bom e velho príncipe encantado, ou nem tanto, mas serviu. E seus problemas acabaram! Só que não… Na verdade, você não quer admitir mas até já chegou a sentir falta daqueles dias de tranquila solidão.

O relato imaginário acima descreve apenas um dos cenários em que alguém pode ser levado ao altar esperando encontrar um mundo perfeito e livre de problemas. Contudo, relações humanas são algo complexo e a relação conjugal talvez seja a mais complexa de todas. Já era de se esperar por turbulências no trajeto…!

Há pouco tempo, ganhei de presente uma Bíblia de Estudos muito especial e, um belo dia, me deparei com o maravilhoso texto que agora compartilho com vocês, para conforto e direção:

Ajustando-se um ao outro¹

No casamento, Deus une duas pessoas de criações, gostos e visões diferentes – e isso significa problemas de ajuste. Tenho certeza de que você já percebeu isto! Mas você talvez não tenha notado que o segredo para fazer estes ajustes necessários em seu relacionamento é vocês dois verem um ao outro e o casamento como mais importante do que seus valores e desejos individuais. Na verdade, se você insistir em agarrar-se com unhas e dentes ao que você quer, nunca desenvolverá o tipo de relacionamento que realmente deseja.

Lembre-se de alguns desses fatos essenciais ao aprender a ajustar seu relacionamento:

  1. Reconheça que ajustes são inevitáveis – Todo casal tem que lidar com os grãos de areia no sapato. Lembre-se do que Tiago escreveu: Meus irmãos, tende gozo quando cairdes em várias tentações (Tg 1.2). Ele disse quando, e não se você se deparar com tentações. Ao começar a aceitar o fato de que você terá de fazer mudanças em seu comportamento e aprender a aceitar seu cônjuge como um presente de Deus, você estará seguindo na direção da unidade no casamento.
  2. Entenda que os ajustes têm um propósito – Deus usa problemas para unir duas pessoas diferentes em algo novo chamado nós. Ele usa os ajustes para ensinar-nos a amar outro ser humano drasticamente diferente e imperfeito. Assim, nos momentos fundamentais, Deus usará o seu casamento para mostrar-lhe como amar o que não era amado.
  3. Peça sabedoria a Deus para saber como viver com esta pessoa que é tão diferente de você – Em vez de tentar mudar seu cônjuge e corrigir todos os maus hábitos dele, aceite a situação ou ajuste a si próprio. Barbara lembra: “Tive de perceber que Deus precisou transformar Dennis. Eu não conseguiria.” E Martinho Lutero disse: “O casamento pode ser uma instituição, mas não é um reformatório!”
  4. Preocupe-se mais com seus pontos problemáticos do que com o de seu cônjuge – Jesus nos instruiu a tirar a trave de nossos olhos antes de tentarmos remover o argueiro dos olhos de outra pessoa (Mt 7.3-5). Na verdade, esse é um conselho dado (também) para o casamento. Se não estou disposto a fazer mudanças, como posso esperar que Barbara mude?
  5. Assuma o compromisso de lidar com os ajustes inevitáveis junto com seu cônjuge – O apóstolo Paulo ofereceu diretrizes para lidarmos com as discussões resultantes dos ajustes. Nada façais por contenda ou por vanglória, mas por humildade; cada um considere os outros superiores a si mesmo (Fp 2.3). Esta é uma declaração de um relacionamento cheio de graça – dando espaço para o cônjuge ser diferente e sendo flexível em relação ao comportamento dele.

Examine minha lista de ajuste e escolha um que você gostaria de fazer por seu cônjuge.

Eu já escolhi o meu item na lista. E você?

Beijos e até a próxima!


1-

Bíblia de Estudos Preparando casais para a Vida. Por Dennis e Barbara Rainey. Rio de Janeiro: Editora Central Gospel, 2013, pg.1240.
Anúncios
De Gênesis a Apocalipse, Mãe Esposa

É possível namorar depois de termos filhos

Olá, meninas mães namoradeiras saudosistas desesperadas! Exagerei?! Foi mal…pensei que não estivesse só na ansiedade por reavivar o romance no casamento kkk!

Direto ao ponto, como prometi no último post, aqui estamos, eu e Erin de novo, falando sobre nossos relacionamentos conjugais e como é possível cuidar bem deles (e não só dos filhos). E por falar neles, demorei um pouco para retornar porque, nas duas últimas semanas, estive envolvida com os preparativos do aniversario de três anos de Dan. Depois vou contar algumas coisas pra vocês sobre isso também. Mas, por agora, vamos já falar do romance no casamento, o bom e velho namoro.

O livro de Erin ao qual venho fazendo algumas referências é o Guia Definitivo da Mãe Cristã 3: tudo o que você precisa saber sobre a idade das descobertas. No capítulo 15, intitulado Reinventando o namoro, ela aborda várias questões sobre as mudanças e dificuldades encontradas pelos casais para manter acesa a chama quando a vida a dois se torna vida a três, quatro, cinco…! Mas não para por aí, afinal, das dificuldades todas nós entendemos bem. A delícia do capítulo são as sugestões super úteis e cheias de criatividade que Erin apresenta. Tenho que confessar que as listas são inspiradoras e tenho toda certeza que você mesma terá suas próprias idéias para acrescentar e/ou adaptar às ali sugeridas. Como estamos num país com dimensões continentais, como se diz por aí e é verdade mesmo, pode ser que você viva numa região em que tudo se adeque direitinho mas, se não for o caso, use a dica como trampolim para sua imaginação e adapte à vontade. Por exemplo, no item 3 da lista que vamos degustar hoje, substitua pela frutas de sua região.

Agora, pra te deixar com muita água na boca, vou fazer um índice das listas de reinvenções do namoro que Erin apresenta neste capítulo. Sinta o drama:

  • Reinventando o orçamento para o namoro – 10 dicas
  • Reinventando a babá – 8 dicas
  • Reinventando o namoro “à noite”: dez encontros românticos durante o dia
  • Reinventando a hora de dormir: dez “encontros românticos” que você pode ter em casa (depois que as crianças forem para a cama)
  • Dez dicas divertidas para trazer a lua de mel de volta à sua vida (uma das minhas listas preferidas)

Escolhi contar pra vocês, neste post, sobre os dez encontros românticos durante o dia e, num próximo, sobre as dicas para trazer de volta a lua de mel. Então, mãos à obra. Com a palavra, Erin MacPherson:

Mesmo com seu romance revigorado e a reinvenção de seu orçamento de namoro, você ainda anda muito cansada pra ficar passeando até depois, digamos, das 19h32. E mesmo que quisesse ficar passeando até depois desse horário, pode muito bem ser impossível para uma babá esporádica fazer seus filhos dormirem, o que quer dizer que o namoro até altas horas pode se tornar algo do passado. Contudo, aqui estou eu para salvá-la de novo. Quem disse que os encontros têm de ser à noite? E que tal “namoro no início da tarde”? Ou um encontro romântico “às dez horas da manhã de terça-feira”? Ou namoros “sempre que a vovó estiver disponível para tomar conta das crianças”? Aqui estão dez ideias.

  1. Tomem café da manhã juntos. Para mim, não há nada muito melhor do que comer panquecas quentes com mel. Exceto, talvez, panquecas quentes com mel junto com meu marido cujo cabelo ainda está desarrumado, pois acabou de acordar.
  2. Pratiquem esportes. Mesmo se você não for do tipo de garota esportista (e eu não sou), é divertido e revigorante praticar esportes com seu homem. Vá até um parque para ficar a sós com ele ou dar um passeio em torno do lago. Em seu caminho para casa, parem no mercadinho e comprem água de coco gelada para vocês, pois é deliciosa e devem bebê-la sempre que houver oportunidade.
  3. Comam frutas. Procure colher alguns produtos locais – pêssegos, amoras ou maçãs – ou se preferir não ficar com as mãos sujas. vá até o mercado do produtor local e compre cerejas, ameixas e peras e depois desfrute dessas delícias com seu marido.
  4. Adquira pacotes em sites de compra coletivas. Recentemente, vi sites que oferecem passeios em rodas de ginástica, aluguel de water bike – aquelas bicicletas aquáticas -, aulas de cerâmica e até mesmo um curso para aprender a fazer sorvete. Todas essa são ideias divertidas para o horário diurno. E são coisas que você nunca fez antes… novidades e mais novidades.
  5. Façam um piquenique, mas não ao ar livre. Mande as crianças para a casa da vovó, depois ponha um cobertor na sala com itens como pão, queijo e morangos cobertos com chocolate. (E, ei… o cobertor está estendido no chão, e as crianças na casa da vovó, então…)
  6. Procurem os ingressos baratos. Não há nada igual à visão dos ingressos baratos (pelo menos, é o que dizem). Vá até o estádio, compre os assentos mais baratos, cachorro-quente e chocolate. Se realmente quiser que seu marido se apaixone novamente por você, encoste nele e lhe dê um beijo apaixonado toda vez que o time dele fizer gol.
  7. Transformem-se em artistas. Minha amiga Kaimey e o marido se matricularam em um curso de artes em um estúdio onde um instrutor os ajudava a pintar. Ou, se você quiser ser mais aventureira, vá até uma loja e compre as telas e as tintas para que vocês dois comecem a criar e pintar juntos.
  8. Pratiquem alguma arte marcial. Vão até a academia ou a um SESC mais próximo – ou, se ainda não forem membros, matriculem-se ou peçam para fazer uma aula experimental – e façam uma aula divertida juntos, talvez algum tipo de arte marcial ou hidroginástica.
  9. Façam um passeio turístico pela cidade. Finjam que são turistas (o que quer dizer que é perfeitamente aceitável usar pochete) e vão até as atrações turísticas locais. Visitem um monumento. Façam um tour por algum museu. Andem de mãos dadas enquanto percorrem uma trilha histórica.
  10. Lavem o carro juntos. Água, espuma, o marido de sunga, Já disse o suficiente.

Tudo bem, pessoal. Eu sei que algumas coisas aí em cima fogem muito mesmo da nossa realidade e podem causar até vontade de rir, às mais críticas. Mas, por favor, sejamos maleáveis e vamos manter a mente aberta. Como disse, são sugestões que inspiram. E no próximo post, para que este não se alongue muito, eu vou acrescentar, a esta lista aqui, os meus tópicos e minhas adaptações – à minha realidade. Novas ideias surgem de acordo com o que temos em mãos e o que podemos fazer. Afinal, o que está em jogo é nada menos que a manutenção da relação conjugal saudável e, por conseguinte, a estabilidade da família constituída. Muitos problemas matrimonias que hoje estão grandes e sérios começaram lá atrás, com pequenos descuidos, que poderiam ter sido corrigidos através da adoção de medidas simples assim. Agora, por outro lado, espero que essas experiências compartilhadas de longe provoquem também o desejo de mudar a realidade em que vivemos, principalmente no que implica nossa qualidade de vida familiar. Já tenho falado sobre isso por aqui, refletindo sobre a nossa ausência no lar e a pouca participação na formação dos filhos. Vejam os posts Mães de volta ao lar I e II (de preferência, antes de me atirarem pedras…mas, talvez, mesmo depois, atirem também).

Então, por hoje é só. Aguardo vocês daqui a uns dias para as Dez dicas divertidas para trazer a lua de mel de volta à sua vida

Bjos!

_________________________________________

1 – MACPHERSON, Erin. Guia Definitivo da Mãe Cristã 3: Tudo o que você precisa saber sobre a idade das descobertas / Erin MacPherson; tradução Markus Hediger. – 1. ed. – Rio de Janeiro: Thomas Nelson Brasil, 2014, pg 239 a 241.